Prece


Pai, onde Tu estas

Que na noite escura tua face inutilmente busco?

Será que fui até pelo abandono abandonado?

Se a Palavra silencia toda a dor, devolva os olhos da interpretação.

Livra-me da angústia, vem serenar-me, vem abastar-me.

Esse post foi publicado em Minhas Poesias e marcado , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.