Arquivo da categoria: Poesias de Outros Autores

Meu Deus


autor: Mahatma Gandhi Ajuda-me a dizer a palavra da verdade na cara dos fortes, e a não mentir para obter o aplauso dos débeis. Se me dás dinheiro, não tomes a minha felicidade, e se me dás forças, não tires … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , ,

Fragmentos


“Vai ser difícil sem você Porque você esta comigo O tempo todo E quando vejo o mar Existe algo que diz Que a vida continua E se entregar é uma bobagem.” Legião Urbana

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Marília de Dirceu.


“Ornemos nossas testas com as flores, e façamos de feno um brando leito; prendamo-nos, Marília, em laço estreito. Gozemos do prazer de sãos amores.        Sobre as nossas cabeças, Sem que possam deter, o tempo corre; e para nós o … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , , , , , ,

Círculo de Amizades


“Eu? Eu faço parte do seu círculo de amizades, nada mais. Sou um privilegiado a receber as vezes um sinal de vida teu, um telefonema, uma carta, um encontro casual. Eu? Eu faço parte do seu círculo de amizades, alguns … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , , , , , ,

ZÉ RAMALHO – trechos


"Eu entendo a noite como um oceanoQue banha de sombras o mundo de solAurora que luta por um arrebolEm cores vibrantes e ar soberanoUm olho que mira nunca o enganoDurante o instante que vou contemplar Além, muito além onde quero … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , , , , , , , ,

Brasileiro – “Um povo imbecilizado”


Guerra Junqueiro, 1896.    Brasileiro Um povo imbecilizado e resignado, humilde e macambúzio, fatalista e sonâmbulo, burro de carga, besta de nora, agüentando pauladas, sacos de vergonhas, feixes de misérias, sem uma rebelião, um mostrar de dentes, a energia dum … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores, Uncategorized | Marcado com , , , , , , , , , , , , , , ,

BRASILEIRO – POVINHO DE MERDA


O país perdeu a inteligência e a consciência moral. Os costumes estão dissolvidos e os caracteres corrompidos. A prática da vida tem por única direção a conveniência. Não há princípio que não seja desmentido, nem instituição que não seja escarnecida. … Continuar lendo

Publicado em Poesias de Outros Autores | Marcado com , , , , , , , , , ,